Alimentos não recomendados para os pets

Alimentos não recomendados para os pets

Alimentos não recomendados para os Pets

Todos que amam os Pets, alguma vez já deixou ser convencido pela carinha de dó que eles fazem ao nos ver comendo. Porém só porque não faz mal para nós humanos não quer dizer que vai provocar alguma reação nos bichinhos. A digestão de cães e gatos é diferente da nossa e “comidas humanas” podem provocar indigestão, intoxicação, problemas de saúde, náusea, vômito e diarreia. Existem casos que podem comprometer o sistema neurológico e cardíaco, podendo levar à morte. A quantidade depende do tamanho e peso do animal, porém não é recomendado nenhum desses itens:

– Chocolate: O problema é o alcaloide derivado do cacau chamado teobromina, onde o fígado dos Pets não metaboliza essa substância prima da cafeina, podendo intoxicar e causar taquicardia, espasmos, vômitos e diarreia.

– Carambola: Apresenta quantidades de ácido oxálico insolúvel, podendo prejudicar os rins.

– Massa crua: O fermento presente na massa produzirá gases e álcool no trato digestório do animal, causando muita dor e desconforto pela distensão do estômago ou alças intestinais.

– Cebolas/Acebolados e Alho: A substância chamada “n-propil disulfito” que pode causar um tipo grave de anemia. Todos os vegetais da família Allium, quando crus são terríveis para o seus Pets. Qualquer comida temperada também devem ser evitadas, componentes presentes na cebola e em outras especiarias podem causar danos oxidativos aos glóbulos vermelhos, anemia e danos aos rins. Se seu animal ingeriu esses tipos de alimentos é aconselhável que o leve ao veterinário.

– Abacate: A substância chamada Persin, é altamente tóxica para os animais inclusive os cães, com uma pequena quantidade é o suficiente para ele vomitar e ter diarreia. O abacateiro é inteiramente tóxico, principalmente o próprio fruto. Para um envenenamento, teria que consumir uma porça generosa porém as toxinas na polpa e na casca não são o único problema, o caroço também pode sufoca-lo e se ingerido causar um bloqueio intestinal.

– Uvas e passas: Existem casos reportados de cães que sofreram reações tóxicas ou morreram após.

– Macadâmias: Até 12h após a ingestão, cães e gatos podem apresentar fraqueza, depressão, vômitos, tremores e até queda dos membros traseiros. Felizmente, os sintomas passam de 12 a 48 horas.

– Vegetais: Como batatas, berinjela, jiló e pimentão, contêm uma substância chamada glicoalcalóide (solanina) capaz de deprimir o sistema nervoso central e provocar transtornos gastrintestinais. Desses, a batata inglesa (a comum) seria a pior, pois a sua casca por exemplo apresenta 90% da sonalina.

– Carnes gordas e ossos: A gordura pode causar pancreatite nos cachorros e o osso pode sufocar o cão, lascar ou perfurar o estomâgo e obstruir o sistema digestivo.

– Ovo cru: Interfere na absorção de vitamina B, causando problemas de pele e queda de pêlo por causa de uma enzima.

Além desses alimentos, existem outros potencialmente perigosos como a semente de linhaça crua, alimentos açucarados, frituras, café e chá preto, bebidas alcoólicas, adoçantes, ruibarbo, carnes cruas (bactérias), caquis, pêssego, ameixas e sementes de maçã e pera.

Caso não possua recomendação de veterinários, não recomendamos ingerir esses alimentos. Lembrando que alguns alimentos servem como complementação da alimentação do seu cão ou gato, porém verifique antes se ele realmente pode ingerir.

Alimentos não recomendados para os pets

Compartilhe o melhor site de promoções

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Dúvidas? Confira nosso FAQ