Como vai ser a economia em 2021?

O ano de 2020 trouxe um cenário inesperado. Os impactos econômicos causados pela pandemia foram intensos e rápidos, comércios e estabelecimentos tiveram de fechar suas portas, algumas fábricas pararam suas atividades e outras alteraram a produção para que não houvesse aglomeração de funcionários. Sendo assim, o surto de covid-19 fez com que milhares de trabalhadores perdessem seus empregos.

De acordo com o Boletim Focus, publicado em 4 de janeiro de 2021, a expectativa é de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 3,40% em 2021, após a recessão do ano anterior ocorrida devido a pandemia. Economistas estimam uma inflação menos acelerada para 2021. A previsão para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) é de 3,32%, abaixo do previsto, que é de 3,50%, mas ainda sim dentro da margem de tolerância, que varia 1,5% abaixo ou acima. Neste caso, o aumento acompanha a expectativa de alta mais acentuada dos preços administrados este ano.

Os principais institutos e analistas vêm apontando que o mundo terá retomada no crescimento econômico em 2021, principalmente agora que já está sendo feita a distribuição da vacina contra o coronavírus, porém o avanço será desigual tanto entre países quanto entre setores. O economista Álvaro Frasson acredita que há um cenário positivo e diz que devemos ter uma diminuição dos preços no atacado com a retomada da produção industrial, porém setores como turismo, lazer e alimentação fora de casa só devem retomar plenamente as atividades com quando boa parte da população já estiver imunizada.

Os comentários estão encerrados.

Dúvidas? Confira nosso FAQ