Impacto da vacinação no varejo

Os impactos econômicos causados pela pandemia do coronavírus foram inesperados, surpreendentes, intensos e rápidos. Em 2021 o varejo enfrenta diversos desafios, como a integração nas plataformas digitais, o pagamento instantâneo, a redução do número de profissionais nas empresas, a dinâmica de home office e planejamento. Porém, com a vacinação no Brasil, a esperança é que setores como turismo, lazer e alimentação fora de casa retomem plenamente suas atividades, e que o mundo retome o crescimento econômico em 2021.

A vacinação contra Covid-19 no país foi iniciada no dia 17 de janeiro deste ano, e o Brasil tenta acelerar seu plano nacional de imunização, registrando em meados de julho a aplicação de 115 milhões de primeira dose e 30 milhões de pessoas já contavam a imunização completa. A vacina, além de proteger o organismo, oferece segurança para a economia. Devido a crescente melhora nos índices de imunização, nota-se uma evolução no movimento dos estabelecimentos.

De acordo com especialistas, a tendência é de que se o cronograma de vacinação for seguido, haja uma melhora ainda maior no segundo semestre deste ano, com uma projeção de crescimento no PIB em até 5,8%. Porém, é importante que o varejista não tenha medo de continuar inovando nesses tempos.

Acredita-se que as vacinas tragam o ânimo que os comércios precisam para sair da instabilidade causada pelo fechamento do comércio devido ao coronavírus. Por isso, têm-se uma visão otimista para os próximos meses de 2021. Alguns impactos positivos da vacinação em massa já são perceptíveis no varejo, e com certeza melhorarão ainda mais com o decorrer da aplicação das doses.

Os comentários estão encerrados.

Dúvidas? Confira nosso FAQ