O Grupo Kantar é uma consultoria global e fornecedora de insights de marketing focada mercado farmacêutico, biotecnologia, diagnósticos e dispositivos industriais. O Grupo realizou um estudo, “Barômetro COVID-19”, que tem explorado o sentimento e as expectativas das pessoas em todo o mundo desde o início da pandemia. No momento atual, em que alguns países estão liberando restrições enquanto outros ainda enfrentam tempos devastadores, a Onda 9 do levantamento (abril de 2021) traz novos dados sobre a mudança de hábitos e comportamentos da população global e analisa desafios atuais.

De acordo com o estudo, 42% das pessoas em todo o mundo foram pessoalmente afetadas pelo coronavírus; 8% relataram ter contraído o coronavírus, 23% afirmaram que um familiar próximo foi diagnosticado e 23% que um amigo próximo foi contaminado. No Brasil, o impacto é mais extremo, isso porque 87% dos entrevistados dizem que eles próprios ou alguém próximo foi infectado.

Apesar de a situação já ter melhorado em diversos países, a ansiedade e a cautela ainda são muito altas e 70% das pessoas concordam que o coronavírus ainda os preocupa “enormemente”. Muitos afirmam ainda estarem preocupados com a possibilidade de ficarem doentes, mas felizmente, o advento da vacina é transformador. Em países considerados “líderes”, cuja taxa de vacinação é superior a 30% e o número de novos casos é classificado como baixo, estável ou em declínio, o nível de preocupação caiu de 76% para 57%. Já nos países que seguem batalhando, ou seja, aqueles em que a taxa de casos não está diminuindo, o nível de ansiedade aumentou de 75% para 80%.

Durante a pandemia, a grande maioria das pessoas fez menos de 25% das compras de abastecimento online. Dos entrevistados, 49% tiveram uma boa experiência em e-commerce de supermercados e 38% acreditam que conseguem uma variedade melhor de produtos no ambiente online. Agora, mais de um em cada três prefere comprar mantimentos pela internet. Além disso, 52% da população presta hoje mais atenção à origem do produto do que antes da pandemia. Por fim, 68% preferem comprar em supermercados perto de casa e 64% consideram que as lojas locais são importantes para a comunidade.

Os comentários estão encerrados.

Dúvidas? Confira nosso FAQ